“Nunca!
Jamais deixe seu otimismo de lado.
Nada acontece se não confiar em você.”

2014-12-02

Michelangelo e a Capela

Quando encomendou a pintura da famosa capela, o Papa deu uma série de recomendações a Michelangelo: cenas do Antigo Testamento, profetas, apóstolos... O pintor não ficou muito satisfeito, mas mesmo assim concordou.

Começou a fazer o trabalho de acordo com as instruções recebidas, e embora todos elogiassem, ele estava insatisfeito com os resultados.

Um domingo foi descansar em uma taberna do Trastevere, que tinha fama de servir o melhor vinho de Roma. Pediu um copo, achou a bebida um pouco avinagrada, mas nada disse – afinal de contas, o local era conhecido pela qualidade, e talvez seu paladar que estivesse errado!

De repente, um homem na mesa ao lado levantou-se e reclamou: “este vinho não presta!”

O taberneiro pareceu surpreso: “não é possível, servimos o que há de melhor nesta cidade! Deixe-me experimentá-lo”. Bebeu um pouco, olhou para o freguês, puxou uma faca, e disse: “tem razão. Não merece ser servido aqui”. Com a lâmina rasgou os recipientes de couro, e a rua foi inundada por um rio vermelho.

Naquele mesmo instante, Michelangelo teve uma revelação: todos pensavam que a pintura que estava executando era a melhor de Roma, como o vinho daquela taberna. Ele até então não se atrevera a dizer nada, porque era a opinião da maioria, inclusive do Papa!
Levantou-se na mesma hora, foi até os murais, apagou tudo e recomeçou de novo. Foi chamado de louco por todos, mas conseguiu criar um mural que até hoje é considerado como um marco na história da arte.

Comenta Dom Rafael: “precisamos ter a valentia de rasgar, cortar, queimar, para poder recomeçar e reconstruir”.


Comente essa notícia



William é autor dos seguintes livros

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba as novidades do William Sanches

Redes sociais

Facebook

Copyright © 2017 William Sanches